Pluridisciplinar
9..Junho
GONÇALO SALVADO, FRANCISCO SIMÕES E MANUEL MAGALHÃES
DENUDATA
Sábado_17h00
CASA AMARELA - GALERIA MUNICIPAL

DENUDATA, livro de poesia de Gonçalo Salvado com de- senhos do escultor Francisco Simões e fotografias de Ma- nuel Magalhães, figura cimeira da fotografia em Portugal. A obra conta com um prefácio do poeta brasileiro Carlos Nejar, recentemente nomeado para o Prémio Nobel da Li- teratura, e um texto de abertura de Maria João Fernandes.
“A poesia de Gonçalo Salvado, que se singulariza em grandeza na nova poesia portuguesa, com vários livros, agora mais ainda em Denudata, não se volta apenas ao amor como tema, ou busca, ou obsessão, é desnudez da linguagem, sede se despindo em corpo e corpo que se perfaz em alma.”
Carlos Nejar

“ A mulher na poesia de Gonçalo Salvado representa a maior luz, a maior energia possíveis, mistério capaz de inspirar, como o Sagrado, terror e maravilha. É plenitude do Ser devolvido à sua mágica essência que cintila numa luz total e transfigurante que em si abarca a noite.”
Maria João Fernandes

Entrada Gratuita